NOTE
Durante três meses, três estudantes do Curso de Audiovisual e Multimédia do ipbeja estagiaram na ZABRA. Ao longo desse período, dentro do nosso universo, não só refinaram técnicas e conceitos sobre o som, a imagem e a performance, mas, mais crucialmente, expandiram uma profunda sensibilidade de orientação como seres livres, despertos para as novas fronteiras das experiências e das ideias contemporâneas, à imersão humana com as novas tecnologias digitais distantes do medo ou do controlo fundamentalista - abraçando as interconexões sinérgicas entre a agência humana e a inteligência das máquinas como uma cooperação emancipatória para o entendimento e a exploração do ser e do mundo.

No fim-de-semana de 29 e 30 de Junho apresentamos na ZABRA o resultado desta experiência: serão exibidas duas performances; The Silent Cycle of The Gaze de João Bico (dia 29), Perversion of Recursion  de Nuno Figueira (dia 30)  e Reverse Stereognosis uma instalação interactiva de Joaquim Fernandes (em permanência durante os dois dias). Este evento intitulado de AFTER WINDOWS, HANDS & PORN abre uma nova linha a ZABRA: o prelúdio de 3 novos artistas no meio de nós.

For three months, three students from the Audiovisual and Multimedia Course at IPBeja interned at ZABRA. During this period, within our universe, they not only refined techniques and concepts related to sound, image, and performance but, more crucially, expanded a profound sense of orientation as free beings, awakened to new frontiers of contemporary experiences and ideas. They immersed themselves in human interaction with new digital technologies, free from fear or fundamentalist control — embracing the synergistic interconnections between human agency and machine intelligence as an emancipatory cooperation for understanding and exploring the self and the world.

On the weekend of June 29th and 30th, we will present the results of this experience at ZABRA: two performances will be showcased; The Silent Cycle of The Gaze by João Bico (on the 29th),  Perversion of Recursion by Nuno Figueira (on the 30th), and Reverse Stereognosis, an interactive installation by Joaquim Fernandes (permanently displayed over both days). This event, titled AFTER WINDOWS, HANDS & PORN opens a new line the prelude to three new artists among us.





June 29th - 19:00
The Silent Cycle of The Gaze by João Bico  


performance



Nos dias atuais, a busca incessante pelo ver e pelo ser visto intensifica-se continuamente. Estamos imersos num estado de constante vigilância e observação mútua, não por mera submissão a esse paradigma, mas por uma necessidade intrínseca de nos envolvermos nesse processo. Nesta performance, é pretendido encapsular a essência desse ato voyeurístico-exibicionista, um ciclo perpétuo onde o olho que observa simultaneamente se torna o objeto da observação. Trata-se de um infinito espelhamento de percepções, onde cada olhar é reflexo e reflexionado, um jogo entre o observador e o observado.
In today's world, the relentless pursuit of seeing and being seen intensifies continuously. We are immersed in a state of constant surveillance and mutual observation, not merely through submission to this paradigm but due to an intrinsic need to engage in this process. This performance aims to encapsulate the essence of this voyeuristic-exhibitionist act, a perpetual cycle where the observing eye simultaneously becomes the object of observation. It is an infinite mirroring of perceptions, where each gaze is both a reflection and reflected upon, a game between the observer and the observed.





June 30th - 19:00
 Perversion of Recursion by Nuno Figueira  

performance



Nesta performance, a imersão no universo da pornografia se desdobra como uma exploração meticulosa da recursividade. Este trabalho manifesta-se na intersecção entre a pesquisa, a viagem e a transformação, entrelaçando-se num tecido denso de significados processados. A proposta visa evocar emoções específicas, arquitetando uma experiência singular e imersiva para o público. A performance, composta por fragmentos e recursões, reflete a complexidade do tema, convidando-nos à reflexão sobre a pornografia e sua influência, desafiando as percepções e provocando uma contemplação profunda sobre sua presença na sociedade contemporânea.


In this performance, immersion in the universe of pornography unfolds as a meticulous exploration of recursion. This work manifests at the intersection of research, journey, and transformation, intertwining into a dense fabric of processed meanings. The proposal aims to evoke specific emotions, crafting a unique and immersive experience for the audience. The performance, composed of fragments and recursions, reflects the complexity of the theme, inviting us to reflect on pornography and its influence, challenging perceptions, and provoking deep contemplation about its presence in contemporary society.




June 29th and 30th
 Reverse Stereognosis by Joaquim Fernandes  

interactive installation



Existe uma crescente intersecção entre os mundos físicos e tecnológicos, onde a biometria física e digital emergem como símbolos poderosos da interação humano-digital. As interações delicadas e precisas que realizamos automaticamente estão enraizadas na nossa existência virtual. Ferramentas e objetos, concebidos e manipulados pelo humano, transformam-se em agentes que nos controlam e moldam. Esta instalação reflete como o avanço tecnológico encarna a nossa mais profunda personalização criativa e emotiva. Expõe a simbiose entre o humano e a máquina, onde cada avanço técnico não é meramente um artefato, mas uma extensão íntima do nosso ser. Através de “Reverse Stereognosis”, é revelada a dialética entre criação e o controlo, sugerindo que a tecnologia, na sua essência, é uma manifestação da nossa capacidade de auto-expressão e uma janela para as profundezas do nosso ser emotivo e criativo.

There is a growing intersection between the physical and technological worlds, where physical and digital biometrics emerge as powerful symbols of human-digital interaction. The delicate and precise interactions we perform automatically are rooted in our virtual existence. Tools and objects, conceived and manipulated by humans, transform into agents that control and shape us. This installation reflects how technological advancement embodies our deepest creative and emotional personalization. It exposes the symbiosis between human and machine, where each technical advance is not merely an artifact but an intimate extension of our being. Through “Reverse Stereognosis,” the dialectic between creation and control is revealed, suggesting that technology, in essence, is a manifestation of our capacity for self-expression and a window into the depths of our emotional and creative selves.